terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Falsas Necessidades


O seu sentimento e o seu pensamento tornaram-se duas coisas diferentes e esta é a neurose básica. 
Aquele seu lado que pensa e aquele seu lado que sente tornaram-se dois e você  identifica-se com a parte que pensa e não com a parte que sente. 
E sentir é mais real do que pensar; sentir é mais natural do que pensar. 
Você nasce com um coração que sente, mas o pensamento é cultivado, ele  é-lhe dado pela sociedade. E o seu sentimento tornou-se algo suprimido. 
Mesmo quando você diz que sente, você apenas pensa que sente. O sentimento tornou-se morto e isto aconteceu devido a determinadas razões. 


Quando uma criança nasce, ela é um ser que sente; ela sente coisas, mas ela ainda não é um ser pensante. Ele é natural, como tudo o que é natural, como uma árvore, 
um animal. Começamos entretanto a moldá-la a cultivá-la. Ela terá de suprimir os seus sentimentos, os se isto não acontecer, estará sempre com dificuldades. 
Quando quiser chorar, não poderá fazê-lo, pois os  seus pais a censurarão. Será condenada, não será apreciada e nem amada. Não será aceita como é. 
Deve comportar-se de acordo com determinada ideologia, determinados ideais. Só então será amada.


Do modo como ela é, o amor não se destina a ela. Só pode ser amada se seguir determinadas regras. Tais regras são impostas, não são naturais. 
O ser natural dá lugar a um ser suprimido e aquilo que não é natural, o irreal  é-lhe imposto. 
Esse "irreal" é a sua mente e chega um momento em que a divisão é tão grande que já não se pode mais ultrapassá-la. 
Você  esquece-se completamente do que a sua verdadeira natureza foi ou é. 
Você é um falso rosto; o semblante original perdeu-se. E você também receia sentir o original, pois no momento em que o sentir toda a sociedade se voltará contra si. 
Você, portanto, coloca-se contra a  sua natureza real.


Isto cria uma situação muito neurótica. 
Você não sabe o que quer; ignora quais são as suas necessidades reais e autênticas, pois somente um coração que sente pode dar-lhe  a direcção e o significado das suas 
necessidades reais. 
Quando elas são suprimidas, você passa a criar necessidades simbólicas. Por exemplo, você pode começar a  comer cada vez mais, enchendo-se de alimento, e nunca sentir que 
está satisfeito. 
Você tem necessidade de amor, não de comida. A comida e o amor, entretanto, estão profundamente relacionados.
 Quando a necessidade de amor não é sentida, ou é suprimida, uma falsa necessidade de comida é criada. 
Você pode continuar comendo;  posto que a necessidade é falsa, ela jamais poderá ser preenchida. E vivemos entregues a falsas necessidades.
Por isso não há realizações.


Osho

0 comentários:

Postar um comentário