quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Gratidão...

A primeira coisa é aceitar a vida como ela é. Aceitando-a, o desejo desaparece. Aceitando a vida como ela é, a tensão desaparece, o descontentamento desaparece; aceitando-a como ela é, a pessoa começa a sentir-se muito alegre – sem nenhum motivo aparente!
Quando a alegria tem um motivo, esta não vai durar muito tempo. Quando alegria é sem razão, ela vai estar aí para sempre.

A pessoa inteligente vive alegremente, contente, seja qual for a situação em que esteja. Seja o que for que tenha, ela vive alegremente, grata, agradecida. Sua alegria não é dependente de nada, de nenhuma outra causa. Sua alegria é sua compreensão interna – a compreensão de que a pessoa jamais atinge a alegria a partir do externo, que a partir do desejo a pessoa sempre chega às lágrimas. Ao ver essa natureza do desejo, seu desejo desaparece. E viver sem desejo é viver em contentamento, é viver sem nenhum anseio por mais. Então, seja o que for que exista, é mais do que suficiente.
 
A partir do momento em que uma pessoa é capaz de ser grata tanto pelo sofrimento quanto pelo prazer, sem qualquer distinção, sem nenhuma escolha, apenas sendo grato por aquilo que lhe é dado... Porque se foi dado por Deus, deve haver uma razão para isso. Podemos gostar ou podemos não gostar, mas isso deve ser necessário para o nosso crescimento.

Inverno e verão são ambos necessários para o crescimento. Uma vez que essa idéia se fundamenta no coração, então cada momento de vida é um momento de gratidão. Deixe que isso se torne sua meditação e sua oração: Agradeça a Deus por cada momento: pelos risos, pelas lágrimas, por tudo. Assim você verá surgir um silêncio em seu coração que você não conhecia antes. Isso é o êxtase.

Ou você vive em desejo ou você vive em gratidão: lembre-se disso. O homem que vive em desejo não pode ser grato, ele pode somente reclamar e reclamar. Ele sempre terá algum rancor contra a existência. Mas o homem que não tem nenhum desejo, tem somente gratidão.

Osho

4 comentários:

Anônimo disse...

:D

jorginho da hora disse...

Olha, Barbara, amo o seu blog. Sempre visito. Acho
que a vida é um eterno construir e desconstruir para construir de novo e não ha sabedoria ou espiritualidade profunda fora desse processo. O individuo tem que entender, praticar e amar esse processso. Devemos aprender, por exemplo, a transformar coisas ruins que acontecem em nossas vidas ha nosso favor. Para isso ser possivel, devemos amar tudo: tanto a alegria quanto a tristeza, tanto o sucesso quanto o fracasso. E sim, devemos ser gratos.
Por outro lado, achar que tudo que um deus ou Deus nos dá ou faz em nossas vidas tem um bom proposito é muito perigoso. Observe que o conflito dá fé não acontece apenas entre a fé e a razão, mas, sem que vc perceba, acontece entre a fé, a razão e a compaixão. O sentimento da fé é egoista, no sentido que é um sentimento seu em favor de si mesma, enquanto que a compaixão é um sentimento seu em favor do outro; portanto a compaixão é mais nobre do que a fé. Então veja: Quando vc lê a biblia, por exemplo, e vê
Deus mandando moises e abraâo matar homosexuais e adulteros a pedradas Não esqueça que em israel ´só homens pobres, homosexuais e mulheres indefesas morriam a pedradas, pessoas ricas ou poderosas como davi, por exemplo nunca morriam dessa forma, não importa o que fizessem. Bom,a fé nesse caso tende a ser solidaria com Deus, que mandou apedrejar, já a compaixão, com a vitima, e isso, sem que vc perceba, gera um grande comflito em seu intimo e pode tambem te tornar muito confuso e infeliz alem de banalizar a violencia, diminuindo o seu pudor em relação a ela. Estou convecido que podemos fazer tudo ou modificar qualquer coisa de forma benigna, delicada e em silencio, portanto um deus que para mudar as coisas ou nos ajudar precisa utilizar metodos que não cabem na idéia do bem ou precisa nos fazer sofrer para isso não vale a pena.

jorginho da hora disse...

Ah, se vc quiser entrar em contato em contato ou discutir mais essa questão meu email é: jorginhodahora3@gmail.com Meu blog: bostamcity.blogspot.com

Antonio Roberto Torricilas disse...

Viver sem expectativas. No inicio da se a impressão de ser uma coisa morna. Mas olhando a colocação, de Osho, parece uma maneira de viver feliz, independente , se é dia ou noite, se voce ganhou ou perdeu.

Postar um comentário