quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Você é sempre responsável


A última coisa a ser lembrada é: no relacionamento amoroso, você sempre culpa o outro quando algo sai errado.
Se algo não está acontecendo como deveria, o outro é responsável.
Isto destrói qualquer possibilidade de crescimento futuro.
Lembre-se: você é sempre o responsável; mude a si mesmo.
 


E abandone todas as qualidades que criam distúrbios.Faça do amor uma auto transformação.Como eles dizem nos cursos para vendedores: O freguês está sempre certo. Eu gostaria de lhe dizer: No mundo do relacionamento e do amor, você está sempre errado - o outros está sempre certo. E é assim que os amantes sempre sentem.
Quando existe amor, eles sempre sentem: se as coisas não estão acontecendo como deveria, é porque alguma coisa está errada comigo.
Então, as coisas crescem, os centros abrem-se, os limites fundem-se.
 

Mas se você pensar que o outro está errado, estará fechando a si mesmo e ao outro. E o outro também pensará que você está errado - mesmo que você não diga isto, mesmo que esteja sorrindo, e mostrando que não pensa que o outro está errado - o outro perceberá...
através dos olhos, dos gestos, de algum modo, o inconsciente estará continuamente enviando sinais: Você está errado.
E quando você diz que o outro está errado, o outro começa a sentir que você é que está errado.
 

O relacionamento é destruído nessa abalo. E as pessoas tornam-se fechadas.
Quando você diz que uma pessoa está errada, ela começa a se proteger, a se salvaguardar. Então, o fechamento acontece.
 

Lembre-se sempre: no amor, você está sempre errado. E a possibilidade abrir-se-á. O outro também sentirá o mesmo. Nós criamos o sentimento no outro.
Quando os amantes estão próximos, imediatamente os pensamentos saltam de um para o outro.
 

Mesmo que eles não digam nada, e fiquem silenciosos, eles comunicam-se.
A linguagem é para os desamantes, para aqueles que não estão amando.
Para os amantes, o silêncio é linguagem suficiente.
Sem dizer nada, eles continuam falando.
 

Quando você sente o amor como "sadhana", como disciplina interna, não diz que o outro está errado. Procura descobrir: em algum lugar, alguma coisa deve estar errada comigo - e abandona o erro.
Isto é difícil, porque vai contra o ego.
Isto é difícil, porque machuca seu orgulho.
Isto é difícil, porque não é um domínio, uma possessão. Você não será mais poderoso pela possessão do outro. Isto destrói o ego - eis porque acaba sendo difícil.
Mas a destruição do ego é o ponto, a meta.
 

Seja de onde for que você aborde o mundo interior - do amor, da meditação, da yoga, da oração - seja qual for o caminho escolhido, a meta é a mesma:
a destruição do ego,
o abandono do ego.

Através do amor, isto pode ser facilmente feito.
E de um modo tão natural!
O amor é a religião natural.
Qualquer outra coisa será cada vez menos natural.
E se você não puder trabalhar através do amor,
será difícil trabalhar através de qualquer outra coisa.

Osho

0 comentários:

Postar um comentário